sábado, 9 de outubro de 2010

Meu, Seu, Nossos Valores

Hoje reli um texto que me foi entregue não faz muito tempo, o achei um ótimo texto. Confiram:




MEU, SEU, NOSSOS VALORES



Você já parou para pensar o que, exatamente, significa ser ético? Será que ser ético é agir conforme meus valores e ponto final? Será que é agir segundo as normas e regras estabelecidas?
Sujeito ético, na realidade, é aquele consciente de si e dos outros. Consciente de que é um ser cujas ações são orientadas por valores. E que assim como as suas ações são determinadas por idéias e crenças, os outros também têm crenças, idéias e valores que orientam suas ações.
E do mesmo modo que queremos ter nossos valores respeitados, devemos respeitar os dos outros. (...)
O sujeito ético é um ser dotado de vontade, com capacidade de controlar e orientar seus desejos e decidir sobre suas ações. Um educador que pretende assumir uma postura ética, portanto, deve distinguir seus valores/desejos dos de seus alunos, saber ponderar sobre essas diferenças e agir em respeito a essas condições.
Além disso, se considero que tenho direito a liberdade de pensar e assumir posturas e atitudes diferenciadas dos outros, devo também reconhecer a liberdade e o direito do outro de pensar, sentir e agir como sua vontade. Afinal, ser ético é ser livre, ou seja, auto determinar-se, dando a si mesmo as regras de conduta. Não são as regras que me fazem, mas eu sou autor das regras.
Isso não quer dizer que cada um faz o que quer. Até porque, ser ético é ser RESPONSÁVEL. E ser RESPONSÁVEL é reconhecer que é o autor da ação assumindo suas consequências. Isso implica em reconhecer que não estamos sozinhos e que, nossas ações devem ter por referência nossa consciência e vontade, mas o reconhecimento de que nossa consciência e vontade estão na relação com outras consciências e vontades. Assim, não há "certo" ou "errado" absoluto, mas consensos construídos nos grupos através do respeito aos valores caros a TODOS que fazem parte daquela realidade social. E estes consensos vão se transformando ao longo do tempo e da história.
A construção coletiva desses processos, com diálogo, numa relação horizontalizada, sem perder de vista nosso papel formador, mas ao mesmo tempo assumindo uma postura de respeito é que faz um educador ético, para com quaisquer questões, inclusive as relativas à sexualidade, homossexualidade e transsexualidade. E é ainda mais preciosa essa discussão nesse campo apenas poque talvez ele, mais que outros, remexa nos mais profundos guardados, já que fala sobre nossos desejos mais latentes, as relações mais fortes, os afetos mais sensíveis, o nosso corpo, a nossa força, a nossa identidade.

(Texto extraído do livreto "Diversidade Sexual Na Escola", de autoria de Alexandre Bortolini - 1ª edição - Pró-Reitoria de Extensão da UFRJ; Rio de Janeiro, 2008 - Projeto diversidade Sexual na Escola).


Lembrando que qualquer sugestão para tema e/ou crítica e/ou dúvida e/ou ajuda pode enviar um e-mail para:
discutindopordiscutir@hotmail.com

Um comentário:

  1. Cara isso é uma definição muito pessoal do autor, mas eu eu gostei ele falou só sobre ser ético e os valores que ele mencionou de terceiros foram o mesmo dele, o envolvimento ético das pessoas não é só o respeitar e ser respeitados, e sim uma troca de gentileza, o ser humano se assusta quando é forçado(abusado) a fazer algo que não o agrada, convém, ou que ele permita.
    Quando somos tratados de forma ignorante, ou de forma ditadora, não permitimos que alguém que tem direitos iguais e valor igual ao nosso, o trate de maneira superior a que merecemos, e isso não deve ser permitido...

    ResponderExcluir