segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Sicko - S.O.S. Saúde



Bom dia, foi num dia como esse que comecei a alguns meses assistindo um documentário de Michael Moore denominado Sicko. Nesse documentário citado tem algo que esse blog se propõe a fazer, discutir e pensar além do que nos mostram. Ou seja, abra sua mente ao ver, ler e ouvir.








Título original: (Sicko)
Lançamento: 2007 (EUA)
Direção: Michael Moore

Atores: Michael Moore, Reggie Cervantes, John Graham, William Maher.
Duração: 113 min
Gênero: Documentário




Pois bem, devo agora vos mostrar a sinopse do referido documentário. Mas espero que por gentileza e caridade para sua mente, que você, caro colega que lê os devaneios que escrevo aqui, compre esse documentário ou por sua responsabilidade baixe ele pela internet.


Sinopse:



"Sicko - S.O.S. Saúde" nos mostra um painel do deficiente sistema de saúde americano. A partir do perfil de cidadãos comuns, somos levados a entender como milhões de vidas são destruídas por um sistema que, no fim das contas, só beneficia a poucos endinheirados. Ali vale a lógica de que, se você quer permanecer saudável nos Estados Unidos, é bom não ficar doente. E, depois de examinar como o país chegou a esse estado, o filme visita uma série de países com sistema de saúde público e eficiente, como Cuba e Canadá.


O filme retrata a ambição, ganância e falta de moral que muitos adeptos ao capital contém. Por favor, não quero aqui falar que o capital é algo ruim, nem que é algo bom. Leiam meu posts anteriores e entenderão o que acabei de falar.



Lembrando que qualquer sugestão para tema e/ou crítica e/ou dúvida e/ou ajuda pode enviar um e-mail para: discutindopordiscutir@hotmail.com

domingo, 5 de dezembro de 2010

Uma música pra refletir


Antes de tudo eu gostaria que você olhasse e fosse ler a minha postagem sobre o amor segundo schopenhauer. Pois bem, agora me pergunto, por que causa de vez enquando nos apaixonamos por pessoas de beleza contestável para a atual sociedade? Eu não sei...Mas acho que aquela frase que diz que beleza não importa de vez enquando acerta. Mas vou deixar de barola e vou lhes mostrar a letra e o link da música no YouTube que me fez pensar nesta postagem. Dali Chico...

Tanto Amar - Chico Buarque - YouTube

Tanto Amar Chico Buarque
Amo tanto e de tanto amar
Acho que ela é bonita
Tem um olho sempre a boiar
E outro que agita

Tem um olho que não está
Meus olhares evita
E outro olho a me arregalar
Sua pepita

A metade do seu olhar
Está chamando pra luta, aflita
E metade quer madrugar
Na bodeguita

Se seus olhos eu for cantar
Um seu olho me atura
E outro olho vai desmanchar
Toda a pintura

Ela pode rodopiar
E mudar de figura
A paloma do seu mirar
Virar miúra

É na soma do seu olhar
Que eu vou me conhecer inteiro
Se nasci pra enfrentar o mar
Ou faroleiro

Amo tanto e de tanto amar
Acho que ela acredita
Tem um olho a pestanejar
E outro me fita

Suas pernas vão me enroscar
Num balé esquisito
Seus dois olhos vão se encontrar
No infinito

Amo tanto e de tanto amar
Em Manágua temos um chico
Já pensamos em nos casar
Em Porto Rico



segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Teatro

Uma coisa que não entendo nos pessoenses, uma boa parte ( que não gosta de teatro ) diz que no teatro só tem viado, puta, sapatão e maconheiro. Mas quando vão ao teatro, escolhem para ver as peças que exploram o universo homossexual e das drogas. Hã ? WTF ?

Tem tanta peça excelente em João Pessoa ( incluindo as que exploram o universo homossexual e das drogas ) que só não ver quem não quer. Uma arte de pura interação e que explora de modo diferenciado as questões do cotidiano em sua maioria.

Aí ainda falam que as melhores peças são as de fora. Pelo motivo de só assistirem peças globais e caras. Enquanto as peças ricas em cultura e baratas desta capital eles não se interessam. Continuo sem entender. Aí falam que teatro é caro. WTF ?²

Alguém aí pode me ajudar a entender ?

Maconha




Um tema muito discutido, e agora é a sua vez de pensar sobre o que essa erva significa na sociedade.


Muito dizem que ela é banal, que mata, que faz muito mal, que é pior que cigarro, que é coisa suja, que faz as pessoas fazerem loucuras, que induz a violência, e que quem usa são marginais e que merecem apanhar. Mas porquê ?
Outros já dizem que ela é muito legal, não mata, que não faz mal como o cigarro, que o efeito acalma, que deixa a pessoa com a mente aberta, que é ilegal pelo simples motivo de não pagar imposto e/ou pelo motivo de vários políticos serem envolvidos com o tráfico, e com a legalização o tráfico ACABARIA e isso traria problemas para esses políticos, também dizem que ela não induz a violência alguma, que alivia as dores da cólica, que é bom pra quem tem AIDS pelo motivo de aliviar as dores e de fazer essas pessoas tenham fome e se alimentarem corretamente, que é bom pra melhoria várias doenças.
Agora gostaria de saber o que vocês acham. Eaí ?

Desculpem-me

Quero lhes pedir desculpas

Pois bem, desculpa por ter passado tanto tempo sem postar, mas é que ando muito ocupado. E desculpem-me pela promessa de postar a biografia de Dilma, mas é que cansei de escutar o nome dela na TV. E mais desculpas por qualquer outra coisa.



terça-feira, 12 de outubro de 2010

A verdade, a mentira, o fogo e a água

Reencontrei mais um texto bastante interessante, esse é sobre uma lenda etíope. Confiram:




A verdade, a mentira, o fogo e a água

Há muito tempo, a Verdade, a Mentira, o Fogo e a Água estavam viajando e chegaram a um rebanho de gado. Discutiram o assunto e chegaram à conclusão de que seria melhor dividir o rebanho em quatro partes iguais para que cada um pudesse levar consigo uma quantidade igual de animais.
Mas a Mentira era gananciosa e arquitetou um plano para ficar com uma parte maior.

- Ouça o meu conselho - sussurrou ela, puxando a Água para um canto. - O Fogo está planejando queimar toda relva e as árvores das suas margens para conduzir seu gado pelas planícies e ficar com os animais para si. Se eu fosse você, acabaria com ele logo agora, e assim repartiríamos a parte dele entre nós.
A Água foi tola o suficiente para acatar o conselho da Mentira e lançou-se sobre o Fogo, apagando-o.

E a mentira dirigiu-se em seguida para a Verdade, sussurrando-lhe:

- Veja só o que fez a Água! Acabou com o Fogo para ficar com o gado dele. Não deveríamos associar-nos a alguém assim. Deveríamos pegar todo o gado e partir para as montanhas.

A Verdade acreditou nas palavras da Mentira e concordou com seu plano. E, juntas, levaram o gado para as montanhas.
-Esperem por mim - disse a Água, correndo no seu encalço, mas é claro que não conseguiu correr morro acima. E foi deixada para trás, no vale.
Ao chegarem no topo da montanha mais alta, a Mentira virou-se para a Verdade e pôs-se a rir.
- Consegui enganá-la, sua idiota! - disse ela, soltando uma risada estridente. - Agora você vai me dar todo o gado e será minha escrava, ou eu a destruirei.
- Ora, essa! Você me enganou - admitiu a Verdade. - Mas eu jamais serei sua escrava.
E as duas brigaram; e enquanto se batiam, os trovões ecoavam pelas montanhas. As duas se agrediram como o quê, mas nenhuma conseguiu destruir a outra.
Acabaram decidindo chamar o Vento para dizer quem seria a vencedora da disputa. E o Vento subiu a montanha a toda velocidade, e escutou o que ambas tinham a dizer. E por fim, falou:
- Não me cabe apontar a vencedora. A Verdade e a Mentira estão fadadas à disputa. Às vezes, a Verdade ganhará; outras vezes a Mentira prevalecerá; neste caso, a Verdade deverá se erguer e tornar a lutar. Até o fim do mundo, a Verdade deverá combater a Mentira e jamais buscar o descanso ou baixar a guarda; caso contrário, será aniquilada para sempre.
Assim a Verdade e a Mentira continuam lutando até hoje.

sábado, 9 de outubro de 2010

Meu, Seu, Nossos Valores

Hoje reli um texto que me foi entregue não faz muito tempo, o achei um ótimo texto. Confiram:




MEU, SEU, NOSSOS VALORES



Você já parou para pensar o que, exatamente, significa ser ético? Será que ser ético é agir conforme meus valores e ponto final? Será que é agir segundo as normas e regras estabelecidas?
Sujeito ético, na realidade, é aquele consciente de si e dos outros. Consciente de que é um ser cujas ações são orientadas por valores. E que assim como as suas ações são determinadas por idéias e crenças, os outros também têm crenças, idéias e valores que orientam suas ações.
E do mesmo modo que queremos ter nossos valores respeitados, devemos respeitar os dos outros. (...)
O sujeito ético é um ser dotado de vontade, com capacidade de controlar e orientar seus desejos e decidir sobre suas ações. Um educador que pretende assumir uma postura ética, portanto, deve distinguir seus valores/desejos dos de seus alunos, saber ponderar sobre essas diferenças e agir em respeito a essas condições.
Além disso, se considero que tenho direito a liberdade de pensar e assumir posturas e atitudes diferenciadas dos outros, devo também reconhecer a liberdade e o direito do outro de pensar, sentir e agir como sua vontade. Afinal, ser ético é ser livre, ou seja, auto determinar-se, dando a si mesmo as regras de conduta. Não são as regras que me fazem, mas eu sou autor das regras.
Isso não quer dizer que cada um faz o que quer. Até porque, ser ético é ser RESPONSÁVEL. E ser RESPONSÁVEL é reconhecer que é o autor da ação assumindo suas consequências. Isso implica em reconhecer que não estamos sozinhos e que, nossas ações devem ter por referência nossa consciência e vontade, mas o reconhecimento de que nossa consciência e vontade estão na relação com outras consciências e vontades. Assim, não há "certo" ou "errado" absoluto, mas consensos construídos nos grupos através do respeito aos valores caros a TODOS que fazem parte daquela realidade social. E estes consensos vão se transformando ao longo do tempo e da história.
A construção coletiva desses processos, com diálogo, numa relação horizontalizada, sem perder de vista nosso papel formador, mas ao mesmo tempo assumindo uma postura de respeito é que faz um educador ético, para com quaisquer questões, inclusive as relativas à sexualidade, homossexualidade e transsexualidade. E é ainda mais preciosa essa discussão nesse campo apenas poque talvez ele, mais que outros, remexa nos mais profundos guardados, já que fala sobre nossos desejos mais latentes, as relações mais fortes, os afetos mais sensíveis, o nosso corpo, a nossa força, a nossa identidade.

(Texto extraído do livreto "Diversidade Sexual Na Escola", de autoria de Alexandre Bortolini - 1ª edição - Pró-Reitoria de Extensão da UFRJ; Rio de Janeiro, 2008 - Projeto diversidade Sexual na Escola).


Lembrando que qualquer sugestão para tema e/ou crítica e/ou dúvida e/ou ajuda pode enviar um e-mail para:
discutindopordiscutir@hotmail.com